terça-feira, abril 17, 2012

A excitação da noite


O impensável aconteceu. Nunca me esqueci do dia em que ouvi na televisão um excerto deste livro. Cheguei a procurar isto na internet – por me recusar a comprá-lo, nem sei se ainda existe – e nunca encontrei. Hoje fui a um dos meus blogues preferidos. Eis que a Livreira Anarquista fez uma publicação sobre o livro “Sandálias de Prata” de Cristina Caras Lindas. Eu nem queria acreditar. Li na diagonal, só à procura do que me lembrava: a palavra “bidé” e a descrição do amor que um homem sente (ou pode sentir) quando vê uma mulher na sanita ou no bidé. A beleza da coisa, portanto. Não cabia em mim de contente quando esse excerto apareceu. Aqui fica a parte mais importante, o resto pode ler-se neste post divinal.

Ao ler esta maravilhosa passagem, ocorreram-me vários pensamentos. Um deles foi esperar que a minha moribunda avó - se algum dia ficar moribunda antes de morrer - nunca se lembre de um ensinamento destes ou, sequer, algo parecido. Ninguém merece.


“Lembrou daquela tarde em que ele entrou na casa de banho, ela estava no bidé, de costas para a porta, quando ouviu a voz de João, olhou para trás. Com as pernas, uma de cada lado, nas pontas dos pés, curvou-se para olhá-lo, curvando a cintura.

 - Fica quieta – disse-lhe João. – Fica assim, eu já volto. Foi buscar as sandálias prateadas, calçou-a e pediu-lhe para ficar assim um momento. Ela misturou o sorriso ao corpo nu com a sensualidade natural que os cabelos caídos nos ombros lhe emprestaram.

 - Sabes, Laura, quando é que um homem tem a certeza que está apaixonado por uma mulher?

 - Não.

 - Isto disse-me a minha avó. Ela era especial e delicada, paciente e sofrida. Antes de morrer, já doente, muito doente, pediu-me para ir ter com ela ao jardim para me mostrar a última rosa que, possivelmente, ela ia ver, uma rosa amarelecida, cor de chá. Ela era muito triste, mas um dia falo-te disso.

 - Então quando é que um homem sabe que está apaixonado por uma mulher?

 - Quando a vê na sanita ou no bidé e consegue ficar ainda mais enternecido. "

(negrito e sublinhado feitos por mim).

2 comentários:

humming disse...

Criancinha que sou, a primeira frase do post fez-me entrar em modo de leitura epiléptica, lendo as duas primeiras linhas do post e depois a última, a terceira e a quarta, e depois a penúltima. Parei. Vou dar uma volta e entretanto continuo, porque uma convulsão por excitação aguento, mas uma sobreposição com "Não, por favor, não..." pode levar-me a um coma e era pena.

(Tive de ler agora, porque podias estar a elogiar o livro e o meu comentário acabar por se desagradável. Não me arrependo de ter lido pela ordem que inventei, porque o impacto é muito mais forte. O monitor onde estou é grande, não sei se o tamanho das linhas é o mesmo, por isso pronto.)

JoaninhaLibelinha disse...

LOLOL! O grave é que quando escrevi este post pensei logo em ti. "A humming vai achar isto estranho. Ela é que era capaz de descrever brilhantemente o que estou a sentir". Mas pronto, como não sou a humming, remeti a coisa para o blog da livreira, cujo post sobre este tema é o máximo. Bidé, humming, bidé. Lembra-te sempre disto quando quiseres ter a certeza que um homem te ama verdadeiramente. ahahah!